Construção das casas populares tem data para começar

1
5

Geral da Caixa Econômica Federal – agência Manhuaçu – Lusio Francisco Marçal Coelho
Convocado pela presidência da Câmara, Gerente da Caixa fala da retomada do programa habitacional

A Câmara Municipal de Manhuaçu esteve reunida na manhã desta terça-feira, 19, quando recebeu membros da gerência da Caixa Econômica Federal para um levantamento da situação do Programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida”, além da votação e aprovação de diversos Projetos de Lei. Houve presença de populares, autoridades e representantes de diversos segmentos, e, ainda no mesmo dia, os vereadores realizaram sessão extraordinária para a votação das contas referentes ao exercício de 2009.
Na abertura das atividades, durante oração, os vereadores solicitaram Minuto de Silêncio em respeito à memória de Swian Zanoni – prestigiado piloto de MotoCross da cidade de Divino, falecido após acidente em Orizânia – e à Ex-diretora do SAAE/ Manhuaçu, Engenheira Elizabeth Espechidt.
Participaram da sessão legislativa, o Prefeito Adejair Barros, Coordenadora Municipal de Defesa Civil, Maria Tereza Nacif – “Vininha Nacif”; Gerente Geral da Caixa Econômica Federal – agência Manhuaçu – Lusio Francisco Marçal Coelho, e Gerente Empresarial Eder Roberto Veríssimo; Secretária de Trabalho e Desenvolvimento Social, Beatriz Prata; Assistente Social Adriana Salazar, Diretor de Cultura Fabrício Santos e a Fisioterapeuta da APAE, Aline Mayrinck.

Minha Casa, Minha Vida

A iniciativa tomada pelo Presidente Renato Cezar Von Randow – “Renato da banca”-, em convidar a gerência da Caixa Econômica Federal para esta reunião, trouxe importantes esclarecimentos para a comunidade manhuaçuense.
Desde que houve o anúncio da implantação do programa habitacional e o cadastramento das famílias interessadas, gerou-se grande expectativa na cidade. A necessidade de sair do aluguel e a possibilidade de aplicar o dinheiro na própria casa tornaram o “Minha Casa, Minha Vida” uma atraente e viável alternativa – considerando que na faixa de atendimento inicialmente proposta, famílias com renda de até três salários mínimos poderiam ser inscritas, pagando em média, por mês R$ 75,00, após a residência construída.
A questão é que, após esta etapa de cadastramento, o programa ficou paralisado. Não houve o início das construções e nem uma explicação plausível para a população, gerando questionamentos diversos e descrença no trabalho realizado até aquela fase.
Este cenário motivou a Presidência da Casa Legislativa a convocar esta reunião. “Como já se passaram dois anos, e, não houve empresas interessadas na construção das casas populares, nós convidamos a gerência da Caixa para estas devidas explicações. Tivemos a palavra do senhor Lusio de que, no máximo, entre 90 e 180 dias, a construção destas casas irá começar, haja vista a contratação de uma nova empresa para que a execução destas moradias. […] Hoje temos inclusive empresas em Manhuaçu, com ISO 9000, devidamente capacitadas para atender os requisitos exigidos pelo Governo para concorrer na Licitação para construir estas casas. […] Em contato com o Prefeito Adejair, o mesmo se prontificou a renovar a Lei para doação deste terreno”, comentou Renato.
O novo gerente Lusio Francisco Marçal esclareceu aos vereadores e público presente o porquê da paralisação das atividades do Programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. “No início, foi selecionada uma empresa, e, passado algum tempo, a empresa desistiu. […] Em dezembro de 2010, abriu-se uma nova consulta, quando, outra empresa ganhou, mas também não apresentou toda a documentação. Somente em julho deste ano, conseguimos selecionar a empresa Alcance, que é conhecida da Caixa, por seus trabalhos, em Teófilo Otoni, em empreendimentos deste porte. […] Como se trata da aplicação de recursos do Governo Federal, com várias exigências, demora-se um tempo para se concretizar. Pedimos paciência e que o pessoal acredite, porque isto está acontecendo no país inteiro e faremos acontecer aqui também. […] Acredito que dentro de seis meses poderemos dar início a estas obras em Manhuaçu”, destacou o Gerente da Caixa.
A Assistente Social, Adriana Salazar, uma das integrantes da comissão de cadastramento das famílias, comentou sobre a continuidade deste trabalho. “No momento, não é preciso que as famílias cadastradas se desloquem, nem para a Defesa Civil, nem para a Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social. As inscrições foram feitas, as fichas estão prontas, então, não há necessidade que as pessoas nos procurem”, esclareceu Adriana.
A Secretária Municipal de Trabalho e Desenvolvimento Social, Dra. Beatriz Lourenço Prata, avaliou positivamente esta iniciativa da Casa Legislativa. “Parabenizamos a Câmara de Vereadores por ter captado o desejo da nossa comunidade de ter uma resposta oficial, a respeito da delonga. […] De repente, pareceu que tudo caiu no esquecimento. A sensação do nosso povo era esta. Será que em Manhuaçu não haverá mais este programa? Fomos esquecidos ou excluídos? Notadamente, este pensamento ocorreu em virtude do depoimento vindo de outros municípios que já possuem unidades construídas. […] O programa habitacional ao qual nós inscrevemos as famílias, correspondia à população de renda inferior. […] Então, o que aconteceu hoje nesta reunião foi muito importante. Nossa população precisava desta resposta”, afirmou Dra. Beatriz.
O Vice-presidente, Vereador Jorge Augusto Pereira – Jorge do Ibéria –, também integrante da comissão, ressaltou que a partir destes esclarecimentos estabelece-se maior tranquilidade, em razão da resposta dada à comunidade sobre o início efetivo das obras, cumprindo o compromisso assumido com estas famílias.
O Prefeito Adejair Barros comentou em plenário que tomará as medidas necessárias em relação à execução do Programa habitacional em Manhuaçu, enviando o mais rápido possível um novo Projeto de Lei à Casa Legislativa, concedendo novamente a área anteriormente cedida pelo município para construção destas casas.
(Thomaz Júnior)

COMPARTILHAR
Artigo anteriorIFET/ Manhuaçu será construído no Bairro Pouso Alegre
Próximo artigoHomenagem a Beth Espeschit
Dr. Fábio Araújo de Sá – Médico formado pela UFJF – CREMEMG: 28610 Diretor da Clínica Médica São Lourenço Membro Efetivo da Academia Manhuaçuense de Letras – Cadeira º 35 Cargos já exercidos: - Diretor de Patrimônio da APAC (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados). - Diretor Executivo da Tv Catuaí – Canal 11 – Manhuaçu – MG - Secretário de Sáude de Manhuaçu - Chefe do Pronto-Socorro de Manhuaçu

1 COMENTÁRIO

  1. Sensibilizada ,agradeço a manifestação pela ausência precoce da minha amada irmã,Elizabeth. Ainda imersos na dor de sua partida sentimos confortados quando é lembrada com tanto carinho. Muito obrigada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here