Câmara presta homenagens e apoia concurso cultural inédito em Manhuaçu

0
125

A Câmara Municipal de Manhuaçu realizou sessão ordinária na manhã desta quinta-feira, 18, quando, prestou homenagens e colocou em votação Projetos de Lei e Indicações de autoria dos Vereadores. Com o plenário tomado pela presença de alunos da APAE/Manhuaçu (Associação de Pais e Amigos do Excepcional) e de membros das Lojas Maçônicas, além de populares, a sessão legislativa presidida pelo Vereador Renato Cezar Von Randow – “Renato da Banca”, foi marcada também pelo debate de diversas questões relacionadas ao cotidiano dos moradores da cidade e da zona rural.

APAE e Dia do Maçom

Logo na abertura da reunião, foram convidados os Veneráveis das cinco Lojas Maçônicas de Manhuaçu: Diucélio Oliveira Hott (União de Manhuaçu), Antônio Braz Sathler (União, Liberdade e Justiça), Charbel Felipe Silva (Fraternidade Regional 33), José Gouvêa Teixeira Júnior (Tríplice Aliança) e José Narcísio Barbosa (Renascimento e Justiça), e a Diretoria da APAE/ Manhuaçu, representada pelo Vice-presidente Dr. Jeremias José Mayrinck e a Diretora da EE Pearl White Slaib Fadlalla, Tânia Maria Alves. Também presentes, o Assessor de Gabinete da Prefeitura, Carlos Henrique Cruz; Diretor Municipal de Cultura, Fabrício Santos; Gerente Regional da EMATER, Rômulo Matozinho, Presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, Sandra Cerqueira, e a Diretora do Hospital César Leite, Ana Lígia de Assis. O Empresário e Maçom Amílcar Pacheco foi convidado pela Mesa Diretora para proceder a oração pedindo bênçãos divinas.
A primeira homenagem prestada foi para a APAE/ Manhuaçu, que está prestes a iniciar a comemoração a Semana do Excepcional 2011, com início na próxima segunda-feira, dia 22.
Com uma atuação exemplar, a APAE da cidade é considerada referência nacional por sua estrutura e qualidade no atendimento oferecido aos seus usuários. A APAE/ Manhuaçu foi fundada em 19 de dezembro de 1973. Desde 1988, a instituição funciona em parceria com a EE Pearl White Slaib Fadlala e é a única da região que presta serviços com equipe multidisciplinar à pessoa com deficiência, de Manhuaçu e de municípios vizinhos. Entre suas prioridades de atuação, destacam-se a Estimulação Precoce, Escolaridade, Educação Profissional, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional Psicologia, Serviço Social, Atendimentos Médicos com Neurologista, Psiquiatria, Pediatra e Oftalmologia – por meio de convênio com clínicas locais. A APAE direciona suas atividades em importantes ações como Apoio e Orientação sócio-familiar, Integração com o meio social, Assistência Social e Defesa dos Direitos e Cidadania.
Dr. Jeremias Mayrinck, Vice-presidente da APAE/Manhuaçu, representou o Presidente Luiz Carlos Carvalho, que justificou sua ausência.
O Vice-presidente da APAE e a Diretora Tânia Alves receberam das mãos dos Vereadores Antônio Carlos Xavier da Gama – “Toninho Gama” e Fernando Gonçalves Lacerda – “Fernando do Fórum” a placa que marcou a homenagem prestada pela Casa Legislativa.

Dia do Maçom

A proximidade do Dia do Maçom (20 de Agosto) foi lembrada de forma especial pelo Legislativo Municipal. Na reunião desta quinta-feira, a Câmara também homenageou aos maçons de Manhuaçu, concedendo placa alusiva aos Veneráveis das cinco Lojas existentes na cidade: “União de Manhuaçu”, “União, Liberdade e Justiça”, “Fraternidade Regional 33”, “Tríplice Aliança” e “Renascimento e Justiça”. Os vereadores procederam a entrega e a leitura de cada placa comemorativa.
Com uma história milenar, a Maçonaria atua alicerçada nos pilares da Liberdade, Igualdade e Fraternidade, promovendo profundas e importantes transformações sociais, visando o bem comum e o zelo aos valores da Nação. O Dia do Maçom foi instituído no ano de 1918. Em Manhuaçu, a Maçonaria se faz presente há 113 anos, com ações positivas permeando segmentos fundamentais para o desenvolvimento social, como a Educação e a Cultura. Como exemplos a fundação da Biblioteca Pública, a instituição do primeiro estabelecimento de ensino de 2º grau em Manhuaçu e da Escola Normal Oficial, além da cessão de espaço na Maçonaria para que o educandário funcionasse gratuitamente, sem despesas de aluguel, por 42 anos consecutivos. Maçons fizeram também a diferença ao construir o Hospital César Leite, o Posto de Puericultura – assegurando a Saúde das crianças por vários anos – e a Escola de Música Maria da Conceição Silva, além da APAE /Manhuaçu – hoje, referência estadual e até mesmo nacional no atendimento aos excepcionais. “Foram duas instituições homenageadas pela Casa Legislativa hoje. Duas instituições que, realmente, fazem e prestam um excelente trabalho em Manhuaçu. Primeiramente, a APAE com seu corpo docente e diretoria que, a cada dia aprimoram e vem cuidando para que nossos internos tenham ali, realmente uma APAE que ofereça melhores condições de atendimento e recuperação cada vez maior. […] A Câmara ficou muito sensibilizada por esta Semana dedicada aos especiais, uma homenagem justa. […] Tivemos uma homenagem também aos maçons de Manhuaçu. São cinco Lojas que vem cuidando para que nossa população tenha realmente homens de bons costumes na direção de suas entidades, contribuindo de maneira geral com a cidade”, afirmou o Presidente Renato Cezar Von Randow.

Análise e votação de Projetos de Lei

Na segunda parte da reunião, os vereadores iniciaram o trabalho de análise e votação de Projetos de Lei e Indicações previstos na pauta desta sessão. A Mesa Diretora composta pelo Presidente Renato Cezar Von Randow, Vice-presidente Jorge Augusto Pereira – “Jorge do Ibéria” – e 1º Sec. José Geraldo Damasceno – “Zé Rulinha”, convidou para se pronunciar o Diretor Municipal de Cultura, Fabrício Santos, que comentou sobre o Projeto de Lei que autoriza a realização do 1º Concurso de Graffiti de Manhuaçu, nos dias 09, 10 e 11 de Setembro. O Projeto foi aprovado por unanimidade no plenário.
Os demais Projetos foram apresentados e debatidos pelos vereadores.

Permanência da EMATER

Outro assunto apresentado no plenário foi relacionado à EMATER. Em sua explanação, o Gerente Regional, Rômulo Matozinho, expôs a situação de pendência de pagamento, por parte do município com a empresa de extensão rural, relativa a um período correspondente de cinco meses, no ano de 2009. Matozinho mencionou o risco de a EMATER de Manhuaçu ser fechada, em razão deste débito, e, consequentemente, ocasionando para o município a perda do status de sede regional já que, neste caso, a mesma precisaria ser instalada em outra cidade. “Existe um débito com relação à Prefeitura referente ao convênio da EMATER, correspondente ao ano de 2009. Então, estamos buscando negociar com o Prefeito. Como se trata de um débito de cinco meses, nós, por força de convênio, temos que promover a suspensão das atividades por trinta dias, e, posterior a este prazo, teremos que encerrar o convênio. É uma coisa que não queremos, porque sabemos do prejuízo que isto pode causar à população rural, principalmente aos agricultores que dependem muito do crédito rural – PRONAF. Além disto, nós queremos continuar fazendo este trabalho que já desempenhamos há 49 anos, ininterruptamente. Sabemos que o município possui uma população rural grande e que tem como a principal atividade a cafeicultura, e, nós buscamos dar este trabalho, este atendimento da melhor forma possível, com equipe sempre treinada, sempre capacitada. Então, gostaríamos de, novamente, voltar a conversar com o Prefeito para buscar uma melhor solução pra isto. E acredito que, a melhor saída, seja estabelecermos um acordo com a Prefeitura para que este fato não ocorra. Claro que, se tivermos que encerrar as atividades do escritório local, teremos também que buscar em um município vizinho a sede para a unidade regional”, esclareceu Matozinho.
O Presidente da Comissão de Agricultura da Casa Legislativa, Vereador Francisco de Assis Dutra – “Chico do Juquinha” –– destacou que a Câmara tomará providências para que a EMATER permaneça em Manhuaçu. O Vereador alertou ainda para sua importância junto à agricultura familiar local. “Ao tomarmos conhecimento do assunto e do risco de perdermos um órgão tão importante como a EMATER, um órgão estadual que vem fazendo um bonito trabalho diante da agricultura, nós, vereadores, não podemos ficar de braços cruzados diante desta situação. Acreditamos que o acerto para esta dívida existente entre a Prefeitura e EMATER, certamente poderá ser negociada, a partir do diálogo durante reuniões, cada um cedendo e fazendo sua parte. Se perdermos um órgão como este hoje, serão prejudicados os pequenos produtores rurais, a agricultura familiar, que necessitam de PRONAF para fazer seus custeios, durante o ano, para a condução das lavouras. Tudo ficará mais difícil para o produtor, porque o banco exige a Carta de Aptidão e é só a EMATER que pode emitir este documento, então, precisamos tentar solucionar este problema da melhor forma possível”, destacou o Vereador Chico do Juquinha.
Os vereadores debateram amplamente o assunto no intuito de buscar soluções urgentes para se evitar o fechamento da sede da EMATER em Manhuaçu. Tanto que houve consenso, entre os integrantes da Casa Legislativa, em realizar uma reunião imediata, envolvendo o Prefeito Adejair Barros e a direção da EMATER. Neste contexto, a presidência da Câmara reuniu-se nesta mesma data, às 15h, envolvendo vereadores que integram a Comissão de Agricultura, Prefeito e a Gerência da EMATER.
As autoridades decidiram pela ida à Belo Horizonte para um encontro com a Direção Estadual da EMATER para análise das alternativas existentes.
(Thomaz Júnior)

[nggallery id=59]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here